MÃE É PRESA POR AUTORIZAR E OBRIGAR ESTUPRO DE FILHA NA BAHIA

[Mãe é presa por autorizar e obrigar estupro de filha na Bahia]

Acusada de consentir e obrigar a filha a ser estuprada pelo padrasto, uma mulher teve o mandado de prisão preventiva cumprido, no município de Ribeira do Pombal. A mulher foi apresentada por guardas municipais, na 25ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin / Euclides da Cunha), na segunda-feira (26).

De acordo com as investigações, o padrasto da vítima cometeu o crime no ano de 2013, quando a garota de 12 anos engravidou. “Nossos investigadores estão realizando diligências para localizar o acusado, que está com prisão preventiva decretada pela Justiça”, afirmou o coordenador da 25ª Coorpin, delegado Paulo Jason Mello.

A garota e o filho estão com familiares e a mãe passou por exames de lesões no Departamento de Polícia Técnica (DPT) e seguirá para sistema prisional.

ITAPETINGA: RÁDIO FASCINAÇÃO AM COMPLETA 37 ANOS

Nesta quarta-feira (28) é um dia especial para rádio Fascinação AM e os ouvintes que acompanham todos os dias a programação da 1080. Hoje é o aniversário de fundação da emissora (1984).

São 37 anos informando, entretendo e conquistando mais ouvintes. Ao longo de todo esse tempo, a Fascinação AM se compromete com a prestação de serviços à comunidade, e, se envolve em causas sociais, notícias com credibilidade, e os fatos do Brasil e o mundo.

Pode ser uma imagem de 7 pessoas

Durante esse tempo, a Fascinação vem passando por processo de transformação no espaço físico (reformas/equipamentos) e novos programas, em breve a conquista da migração de AM (amplitude modulada) para FM (frequência modulada) – aumentando o alcance também através das redes sociais, além da facilidade para ouvir em qualquer parte do mundo, pelo aplicativo e site.

Pode ser uma imagem de 9 pessoas, pessoas em pé e roupa exterior

Parabéns aos diretores que passaram, hoje, representados por Soraya Orge e Cascio Brito, pelo sucesso. Parabéns aos profissionais que fizeram e os que continuam fazendo da rádio Fascinação, a mais ouvida da região. Veja fotos de alguns locutores de ontem e hoje:

Pode ser uma imagem de 6 pessoas

Pode ser uma imagem de 9 pessoas e pessoas em pé

Pode ser uma imagem de 2 pessoas, pessoas em pé e interiores

Pode ser uma imagem de 3 pessoas

Pode ser uma imagem de 1 pessoa

Pode ser uma imagem de uma ou mais pessoas e roupa exterior

Pode ser uma imagem de interiores

Por Wagner Ribeiro

CASO JOICE HASSELMANN: POLÍCIA LEGISLATIVA CONCLUI APURAÇÃO DOS FATOS

Joice Hasselman, deputada federal, diz ter sido atacada em seu apartamento funcional

A apuração da Polícia Legislativa (Depol) referente o  caso Joice Hasselmann chegou ao fim na tarde desta terça-feira (27), segundo o jornalista Guilherme Amado. A parlamentar alegou ter sofrido um ataque enquanto repousava em seu apartamento funcional, em Brasília.

A perícia realizada contou com imagens de 16 câmeras do circuito interno de segurança do prédio em que Joice reside, bem como oitivas de funcionários do local. Outras informações não foram divulgadas pela Câmara dos Deputados.

De acordo com a Casa de Leis Federais, o inquérito foi concluído e agora seguirá em sigilo para o Ministério Público Federal.

Em sua defesa, Joice diz ter acordado ensanguentada no último domingo (18), em seu apartamento. Ela alega não se lembrar dos fatos e não negou ter sido agredida pelo marido.

ELEITORES DE BOLSONARO PODEM ‘SE SENTIR UM POUCO CONFUNDIDOS’ POR ALIANÇA COM O CENTRÃO,DIZ MOURÃO

O general e o capitão:

O vice-presidente Hamilton Mourão reconheceu nesta sexta-feira (23) que uma parte dos eleitores que votaram no presidente Jair Bolsonaro em 2018 pode ficar “um pouco” confusa pela aliança do governo com o grupo de partidos conhecido como Centrão.

Durante entrevista no Palácio do Planalto, Mourão questionado sobre o tema após Bolsonaro anunciar que o senador Ciro Nogueira (PI) será o novo ministro da Casa Civil. O parlamentar é presidente do PP, um dos partidos do Centrão, grupo formado por diversas legendas que troca cargos e verbas federais por apoio ao governo.

Crítico do Centrão e do “toma-lá-dá-cá” durante a campanha eleitoral, Bolsonaro se aproximou do grupo e, agora, entregou a ele um dos principais ministérios do governo. Indagado sobre a mudança de postura, Mourão reconheceu que parte dos eleitores pode estranhar a situação.

“O eleitor que é o eleitor do presidente Bolsonaro, vamos dizer assim, que é uma parcela de 25%, 30% da população, ele olha a pessoa, independente do partido em que ele está. Agora, a outra parte dos eleitores que também votaram no presidente e, aí foi uma questão mais programática e vamos dizer assim de visão de futuro para o país, esses podem até se sentir um pouco confundidos. Isso vai depender obviamente, então, das ações daqui para lá”, disse Mourão.

‘Eu sou do Centrão’

Após afirmar na campanha que o Centrão reúne a ‘nata do que há de pior’ no país, Bolsonaro cedeu espaço no governo em troca de apoio no Congresso e, nesta quinta-feira (22), afirmou em entrevista que nasceu do grupo, já que foi filiado ao PP e ao PTB.

“Eu sou do Centrão. Eu fui do PP metade do meu tempo. Fui do PTB, fui do então PFL. No passado, integrei siglas que foram extintas, como PRB, PTB. O PP, lá atrás, foi extinto, depois renasceu novamente”, declarou Bolsonaro em entrevista à rádio Banda B.

“O tal Centrão, que chamam pejorativamente disso, são alguns partidos que lá atrás se uniram na campanha do [Geraldo] Alckmin [PSDB]. E ficou, então, rotulado Centrão como algo pejorativo, algo danoso à nação. Não tem nada a ver, eu nasci de lá”, acrescentou.

O Centrão não foi criado em 2018. O grupo, que teve protagonistas em grandes escândalos de corrupção como mensalão e Lava Jato, surgiu durante a Constituinte, nos anos 1980, e desde então sempre apoia os presidentes. Integrou, por exemplo, os governos de Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff e Michel Temer.

Fonte/G1

ARGENTINA RECONHECE CUIDADO MATERNO COMO TRABALHO PARA APOSENTADORIA

Argentina reconhece cuidado materno como trabalho para aposentadoria

A Argentina vai reconhecer o cuidado materno como tempo de serviço computável para a aposentadoria.
Segundo decreto publicado no país vizinho no último sábado (17), as argentinas poderão acrescentar de um a três anos de tempo de serviço por filho que tenha nascido com vida, de modo que elas atinjam o tempo mínimo exigido por lei para alcançar o direito à Previdência.

O benefício se dirige a mulheres que estão em idade de aposentadoria -na Argentina, 60 anos ou mais- e que não possuam os 30 anos mínimos exigidos de contribuição. A projeção é que a regra alcance 155 mil mulheres.

Segundo o texto, serão considerados dois anos por filho adotado e adicionado um ano para cada filho com deficiência. Para aquelas mulheres que tenham sido beneficiadas pelo Abono Universal por Filho para Proteção (programa argentino direcionado para famílias de baixa renda), serão adicionados dois anos por filho. 

A notícia repercutiu entre lideranças políticas brasileiras e nas redes sociais.

“Todas nós, mulheres, sabemos exatamente o que é a desigualdade de gênero no trabalho e como ela nos afeta: temos menos oportunidades, ganhamos menos e trabalhamos de graça para a sociedade. Esse trabalho gratuito é o que chamamos economia do cuidado”, disse a vereadora do Rio Tainá de Paula (PT) em sua conta no Twitter.

“Parabéns para a Argentina. O Brasil tem que fazer o mesmo”, escreveu a cantora Daniela Mercury em seu perfil.

Outras figuras políticas, como a deputada estadual Erica Malunguinho (PSOL-SP) e a candidata à vice-presidência da República em 2018 pelo PCdoB, Manuela d’Ávila, também repercutiram a notícia em suas contas.

A professora de economia da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) Lena Lavinas explica que essa é uma medida de compensação. “Isso é a compreensão de que o Estado falhou em prover um serviço de creche e de pré-escola para que as mulheres pudessem deixar as suas crianças para ir trabalhar”, afirma. Sem essas possibilidades, diz Lavinas, essas mães não puderam contribuir para a Previdência nos anos em que ficaram fora do mercado de trabalho. A legislação brasileira não prevê compensações como as adotadas pelos vizinhos, mas estabelece uma idade mínima para aposentadoria menor para mulheres do que para homens. No entanto, nas discussões durante a reforma da Previdência, aprovada em 2019, foi cogitado eliminar essa diferenciação.

A proposta foi rechaçada parcialmente, com elevação em dois anos do mínimo exigido de mulheres (de 60 para 62 anos). A idade mínima exigida de homens é 65 anos.

Lavinas defende a adoção de uma política nos moldes da Argentina no Brasil. “Seria o reconhecimento de que o trabalho doméstico penaliza as mulheres não só para a sua inserção no mercado de trabalho, mas faz com que elas percam anos de contribuição”, afirma.

Essa mudança, no entanto, não resolveria todas as questões brasileiras, diz a economista. Reorganizar o sistema de aposentadorias considerando a taxa de informalidade –agravada durante a crise do coronavírus- é prioridade, defende. “A pandemia traz um quadro absolutamente dramático para as mulheres.

Isso porque a crise sanitária afetou áreas como o setor de serviços e o trabalho doméstico (dois grandes empregadores da força de trabalho feminina). Soma-se a isso o fechamento de escolas e outras instituições de cuidado, o que obrigou muitas mulheres a assumirem esses cuidados em casa -de maneira informal e sem remuneração.

Na Argentina, a nova regra foi gestada na Mesa Interministerial de Políticas de Cuidado. Trata-se de um grupo que reúne 15 órgãos do Poder Executivo para pensar e planejar medidas relacionadas a atividades de cuidado, que incluem de tarefas domésticas a ocupações com crianças e idosos. “Todo o governo [argentino] está trabalhando de forma integrada, coordenada para reduzir as desigualdades de gênero”, afirma Lavinas. “Uma das grandes reivindicações do movimento feminista contemporâneo é trazer a economia dos cuidados para o centro da defesa da vida.”

Para a professora de sociologia da USP (Universidade de São Paulo) Nadya Araújo Guimarães, o grupo de trabalho argentino se debruça sobre atividades que carregam uma “capa de invisibilidade”. “É como se fosse um tipo de trabalho que escapava às formas mercantis, públicas, remuneradas”, afirma.

“Há uma brincadeira de pessoas que atuam nessa área de que o problema se resolve com um punhado de erres: reconhecer, redistribuir e remunerar. Ter um grupo como esse é um movimento simbólico de reconhecimento dessa atividade”, afirma a pesquisadora.

A Argentina não é o primeiro país a fazer uma lei do gênero na região. O Uruguai, por exemplo, reconheceu o trabalho materno em uma lei de 2008, que determina que as mulheres tenham direito a computar um ano de tempo de serviço adicional para cada filho, com um teto de cinco anos.

O Chile, por sua vez, complementa a aposentadoria de mulheres de 65 anos ou mais de idade de acordo com a quantidade de filhos que elas possuam.

ATACADAS POR BOLSONARO E BRAGA NETTO, URNAS ELETRÔNICAS FORAM DESENVOLVIDAS POR MILITARES

Foto: STFEx-ministro Carlos Velloso

As urnas eletrônicas atacadas pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo general Braga Netto, atual ministro da Defesa, foram desenvolvidas pelos próprios militares na década de 1990.

A história já foi narrada pelo ex-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Carlos Velloso e está registrada nos arquivos da corte. Segundo ele, um grupo técnico foi formado na década de 1990 para desenvolver a urna. Ele era integrado por três engenheiros do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), um do Exército, um da Aeronáutica, um da Marinha e um do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD).

“A comissão técnica começou do zero, foi trabalhando e construindo e fez o protótipo da urna. Quando a comissão trabalhava, fui visitado por representantes de empresas estrangeiras oferecendo urnas para nós. Eu dizia: não, vamos fazer uma urna tupiniquim, simples e barata. E assim conseguimos”, relembrou Velloso.

Em 25 anos, jamais foi comprovada qualquer irregularidade na votação eletrônica.

(Mônica Bergamo/Folhapress)

BOLSONARO ENVIA DINHEIRO PARA ONGs DE FACHADA, UMA DELAS LIGADA À MACONHA

Jair Bolsonaro

Além do rolo das vacinas, no Ministério da Saúde, a corrupção no governo Bolsonaro tem um novo viés: ONGs de fachada . É o que revela uma reportagem da revista Crusoé, apontando até mesmo uma organização que funciona em um prédio que vende artigos liados a maconha

Ao todo, seriam nove entidades sem fins lucrativos que só existem no papel ou que funcionam com estruturas muito precárias e em desconformidade com sua atividade fim. Os R$ 17 milhões , enviados por emendas parlamentares, teriam objetivo de beneficiar aliados e até mesmo funcionários estrategicamente alocados.

Algumas dessas entidades estão registradas em residências de servidores do governo ou em salas vazias, como apurou a reportagem. 

Uma delas, a Associação Beneficente Ensine Mão Amiga, recebeu 200 mil reais da Secretaria Nacional de Política para as Mulheres, do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos.

A presidente da ONG é Helieth Dolores Pereira Duarte, ex-funcionária da própria ministra Damares Alves.

Em 2017, antes mesmo de oficializar sua candidatura a presidente, Bolsonaro chegou a dizer que “se um dia tiver poder para tal, não vai ter um centavo para ONG”.

Em um dos endereços investigados funciona a ‘Cultura Verde’, que recebeu do Ministério do Turismo, por meio do Fundo Nacional do Turismo e da Fundação Cultural Palmares, 1,2 milhão de reais. “Aqui a loja é de tabaco e artigos de maconha, senhor! Vendo seda, narguile …”, disse um funcionário ao ser abordado pela Crusoé. 

RECÉM-NASCIDO DE DOIS MESES MORRE DE COVID-19 EM ITAPETINGA

 

Pezinho de Bebe | Fotografia de bebês recém-nascidos, Fotografia de recém- nascidos, Bebês recém nascidos fotos

A Secretaria de Saúde do município de Itapetinga, Sudoeste da Bahia, registrou nesta quarta-feira (21) a morte de um recém-nascido de apenas dois meses de idade em razão da Covid-19.

Sem comorbidades, a criança do sexo feminino foi internada no Hospital Cristo Redentor nesta terça-feira (20) e testou positivo para a doença.

O município contabiliza 130 mortes, com 137 casos monitorados. 89 casos ativos, 4867 recuperados, 137 monitorados e 5086 confirmados.

Por Wagner Ribeiro

 

 

GREVE DOS CAMINHONEIROS SEGUE PREVISTA PARA DOMINGO

Convocação foi feita há um mês e será reavaliada

Está prevista para domingo (25), Dia do Motorista, uma paralisação dos caminhoneiros . A categoria se diz insatisfeita com promessas não cumpridas do presidente Jair Bolsonaro e também a alta do diesel  tem provocado descontentamento, segundo o Estadão Broadcast. 

O presidente do Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC), Plínio Dias, disse que a mobilização começa no dia 25 e que a adesão pode crescer na segunda-feira e nos dias subsequentes. Ao todo, ele afirma ter enviado 387 ofícios ao governo com as demanda da categoria. 

Uma delas é o pedido de fim para a Política de Paridade Internacional da Petrobras, que regula o preço do combustível de acordo com o mercado mundial. Outro é o  fim da isenção do PIS/Cofins sobre o diesel.

Segundo o Broadcast, a Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava) vai decidir sobre a adesão no movimento em reunião com seus associados amanhã (22). Já a Associação Nacional de Transporte do Brasil (ANTB), disse que apoia a decisão.

Fonte/IG 

ITAPETINGA: MOVIMENTO “FORA BOLSONARO” NESTE SÁBADO DIA 24

   Movimento “Fora Bolsonaro” Itapetinga

A cidade de ITAPETINGA é marcada por lutas e resistências, desde o seu surgimento, a partir da resistência dos povos originários, rebeliões dos povos escravizados, perseguições da ditadura militar, entre outros importantes marcos históricos. Neste sentido, não poderia ficar de fora das importantes mobilizações políticas que vêm ocorrendo em nível nacional há alguns meses, e mais especificamente no próximo dia 24 de Julho/21 para demarcar que somos contra o Governo Bolsonaro.

Derrotar o Governo Bolsonaro é um ato pela VIDA, por isso não podemos recuar do enfrentamento às perdas de direitos e aos retrocessos impostos desde 2016, culminando com o ataque ao processo democrático garantido na constituição cidadã de 1988, deixando explícito o estado de exceção e o interesse de setores da sociedade em aprofundar as desigualdades sociais.

O cenário da pandemia agravou todas as crises no país, e não deixou de revelar a política genocida de Bolsonaro, que atualmente também teve seu nome vinculado a corrupção no escândalo do superfaturamento de vacinas e favorecimento de medicamentos a partir da propaganda política da cloroquina, cujas indústrias faturaram milhões com fake news e negligências.

Estas e outras ações políticas do governo contra a vida, levaram à morte de mais de meio milhão de brasileiros.

É pela vida, por nenhum direito a menos, contra tudo que fere os direitos sociais, as políticas de proteção ambiental, contra o feminicídio, contra o racismo, contra a LGBTfobia e todas as diversas formas de opressão, contra a inoperância e a incapacidade do governo federal em proteger a população deste vírus e de tantas outras mazelas sociais.

Concluímos que o presidente é mais perigoso do que o vírus e devemos ir pra rua! Neste momento da história devemos pegar nossas máscaras e nossos cartazes, ir pra rua sem medo de ter cuidado! Mas com muito cuidado pra não ter medo!

Convidamos todos os Itapetinguenses para estarem conosco nas ruas pelo Fora Bolsonaro!
No dia 24 de julho (Sábado), frente à Prefeitura, às 09H30 em uma manifestação aberta, unitária e segura, respeitando as recomendações de segurança e distanciamento social.

Fora Bolsonaro! Impeachment Já!

Organizadores