ITAPETINGA: MOTORISTA DA SAÚDE ESQUECE PACIENTE DE 62 ANOS QUE FOI FAZER TRATAMENTO EM VITÓRIA DA CONQUISTA

Resultado de imagem para SAUDE NA UTI

A crise na saúde do município de Itapetinga-Sudeste da Bahia, parece piorar a cada dia. Na última segunda-feira (20), uma senhora de 62 anos que faz tratamento intensivo em Vitória da Conquista, foi deixada pelo motorista da saúde em uma unidade hospitalar.

Clébio, filho da idosa, que entrou em contato com a nossa reportagem, informou que a sua mãe, juntamente com outras pessoas que fazem tratamento fora do domicílio(TFD), foram levados para o hospital, e o motorista teria dito que um outro colega retornaria para pega-los.

Só que alguns pacientes terminaram o tratamento e ficaram aguardando. O motorista chegou e levou quem estava na recepção, e deixou para trás a mãe e a acompanhante. 

“A minha mãe ficou desesperada quando terminou seu tratamento e ficou sabendo que o carro já tinha retornado para Itapetinga. Isso é um absurdo, é falta de humanidade com uma senhora de 62 anos que já está abalada, e depois de várias horas de tratamento ter que passar por isso”, disse indignado o filho Clebio. Leia mais…

A pessoa que estava acompanhado a senhora, viu as horas passarem e nada do motorista chegar, já que elas tinham a esperança que o motorista retornasse para pega-las, mas isso não aconteceu. Depois de muitas horas de espera, elas ligaram para uma pessoa da família aqui em Itapetinga, que abasteceu o carro e foi busca-las. Infelizmente esse é o retrato da saúde do nosso município”, finalizou Clébio.

Pra completar a falta de responsabilidade com a saúde, uma denúncia também foi registrada no programa a “Hora da Verdade” da Radio Jornal. Solange, moradora do José Ivo, usuária do Centro de Atenção Psicossocial, disse que está sofrendo com a falta de medicamento no CAPS. Ela faz o uso de CINCO medicamentos e a Secretaria de Saúde só está disponibilizando DOIS. “Tenho que fazer o uso diário de  Risperidona, Cloridrato de Biperideno e Fernegan,” disse Solange. Na campanha eleitoral, o prefeito falava que a ‘cidade precisava voltar a ser feliz’. Essa frase foi dita em 2016. Será que de fato o povo voltou a ser feliz?

Por Wagner Ribeiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.