ITAPETINGA: GESTÃO “RR” ENTRA PARA O TERCEIRO ANO DE GOVERNO E OS CONTRATOS MILIONÁRIOS CONTINUAM NA ADMINISTRAÇÃO

O prefeito de Itapetinga, interior da Bahia, Rodrigo Hagge (MDB), entra para seu terceiro ano de mandato e ainda não se pronunciou sobre contratos milionários em sua administração. No município foram celebrados dois contratos que chamam a atenção da população e que compromete boa parte dos recursos dos cofres da prefeitura. Uma administração que não consegue pagar um aluguel social no valor de R$ 200 (duzentos reais), não pode ostentar contratos com quantias voluptuosas. Por exemplo: o contrato com a empresa de locação de veículos da cidade de Simões Filho no valor de R$ 1 milhão e 135 mil reais.

E o outro é com a empresa QUALYMULTI SERVIÇOS EIRELI, da capital do estado, no valor de R$ 4. 115. 590, 56 (quatro milhões cento e quinze mil, quinhentos e noventa reais e cinquenta e seis centavos).

Esses contratos vem dando o que falar nos quatro cantos da cidade, pois os serviços básicos essenciais estão comprometidos, deixando a população desprovida de serviços como: falta de medicamento e médico nos postos, falta de limpeza na sede e nos distritos, atrasos constantes nos salários e no cartão alimentação, pavimentação nos bairros e atrasos com fornecedores. E quem foi eleito para fiscalizar anda calado. Muitos vereadores que outrora pousavam de paladino da justiça e da moralidade, hoje fecham os olhos para os desmando que está essa administração.

O vice, Renan Pereira (DEM) que nos bastidores critica os contratos miliários celebrados pelo prefeito, deu uma declaração controvérsia na cerimônia de posse da nova mesa diretora da câmara, dizendo que o prefeito estava gastando bem os recursos da prefeitura. Será que não estava na hora do prefeito olhar com mais carinho para a classe mais pobre dessa terra?  

Por Wagner Ribeiro

3 thoughts on “ITAPETINGA: GESTÃO “RR” ENTRA PARA O TERCEIRO ANO DE GOVERNO E OS CONTRATOS MILIONÁRIOS CONTINUAM NA ADMINISTRAÇÃO”

  1. Renan é uma decepção para o povo de Itapetinga. Gritava no palanque que dinheiro tinha e o que faltava era gestão e hoje vive fingindo que está tudo bem . Deve esta sendo beneficiado para defender o indefensável. Se faltava hoje nem existe gestão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.