SISTEMA PERVERSO: SAÚDE DE ITAPETINGA ABANDONADA E O PREFEITO NÃO TOMA PROVIDÊNCIAS

Nesta tarde de sexta-feira (01/11), o Blog ‘Fala Livre’ recebeu informações que uma família estava na porta do Hospital Cristo Redentor/FJS, com dificuldades para conseguir internar um cidadão que estava bastante debilitado.

O fato

De acordo a filha do senhor Laudionor Gomes Soares, depois de ‘idas e vindas’ nos postos de saúde, e na UPA 24 Horas (Unidade de Pronto Atendimento), resolveu encaminhar seu genitor para a Fundação José Silveira, mas chegando lá, ela relata que houve uma falta de sensibilidade do profissional com uma pessoa que já estava 15 dias sem se alimentar e sem enjerir nenhum tipo de líquido.

Ainda conforme a família, o médico plantonista sabia do estado crítico do paciente, mesmo assim só prescreveu um soro e alguns medicamentos, e em seguida o liberou. “Nós pedimos que ele fosse internado para poder hidrata-lo, porque seria o lugar adequado pra ele, já que o estado dele era crítico”, relata um familiar. “Até os outros pacientes que estavam de fora, ficaram abismados com a falta de humanidade que ele [médico] fez com meu pai”, conclui a filha do paciente.

Nenhuma descrição de foto disponível.

O caso do senhor Ludionor é apenas mais um, entre vários, que vêm acontecendo neste sistema PERVERSO que foi instalado na saúde pela “IN” gestão municipal. Infelizmente a Fundação não vem ofertando um atendimento de qualidade aos pacientes de Itapetinga, prova disso é o setor de urgência/emergência que quase sempre fica sem plantonista.

Nenhuma descrição de foto disponível.

 

Depois que o site ‘Bahia Popular’ esteve na unidade e acionou o vereador Romildo Teixeira, o paciente ficou em observação no Hospital.

Outro problema que tira o sono dos Itapetinguenses, é a falta de médico anestesista, situação que deixa centenas de pessoas sem pequenas e médias cirurgias, e ainda acaba forçando as mães terem seus filhos em cidades vizinhas. A saúde é plena, e segundo informação do Blog do Diga Diga, a prefeitura pode estar há 3 meses sem cumprir com os pagamentos da Fundação José Silveira.

Na visão do prefeito Rodrigo Hagge (MDB), essa é a saúde de qualidade que ele prometeu aos Itapetinguenses. REFLITAM!

Por Wagner Ribeiro   

2 thoughts on “SISTEMA PERVERSO: SAÚDE DE ITAPETINGA ABANDONADA E O PREFEITO NÃO TOMA PROVIDÊNCIAS”

  1. Não tem mais médicos como antigamente.Os profissionais da área de medicina de hoje principalmente os novos recém saídos da faculdade não tem amor, dom para ser médico , não tem sensibilidade, trata mal , tem uns que nem olha e nem o nome do paciente sabe , não cria um elo de amizade, afinidade .São médicos por status ,dinheiro que para obter mais e mais precisa fazer malabarismo estando em vários lugares (hospitais, clínicas, pontos de saúde)trabalhando em vários plantões , dando até mesmo assistência a sua própria empresa hospitalar.Sou leiga mais creio que o médico saiba o que estava fazendo quando atendeu o paciente , somente um especialista nessa área deve saber se o médico fez o procedimento correto , creio que uma vez que o senhor não estava a mais de 15dias sem se alimentar muito debilitado frágil o procedimento é de por o paciente no soro, pois o soro serve para hidratação , e a não internação do paciente provável que seja por ele está debilitado não vim pegar infeção hospitalar e desencadear mais um problema grave .Porém uma vez que a família desesperada com razão por ver um ente em uma situação frágil ,desesperador , parentes pede para internar até mesmo para saber a causa do problema , através de exames , acho que a família autorizando quem é o responsável pelo paciente são os parentes próximos.Em relação ao prefeito, ele não pode interferir como o médico deva ou não agir , e nem pode dispensar o serviço do referido médico , para isso no próprio hospital tem comissão de ética e postura hospitalar para avaliar a conduta desse médico .O que o prefeito como vereadores assim como qualquer politico deve provar saber a real situação e o quer o hospital está a fazer para resolver e não deixar mais que isso aconteça , ou então o político deve buscar meios para providenciar no caso os exames , se for o caso de cirurgia facilitar para o mais rápido resolver a situação desse senhor como de outros que venha a precisar , o hospital não é municipal , e essa atenção que não é prestado pelos medicos ocorre também em hospitais, clínicas particular , se fosse assim o prefeito, vereador o político iria ter que interferir , pronunciar toda as vezes que o médico atender inadequadamente , o que tem que tomar conhecimento ficar por dentro e chamar a atenção do hospital .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *